LOCALIZAÇÃO DE LEITORES


web site estatísticas

terça-feira, 28 de maio de 2013

REFLEXÕES POR UMA FLORIANO MELHOR.



O texto abaixo é de autoria de Airton Feitosa, aqui em foto de arquivo pessoal.


"Caro Jair,

De tanto ler os seus artigos combatendo, até então, os desmandos administrativos na nossa Floriano concluo que, cada vez mais, a corrupção é um crime ordinário que está associado sim ao analfabetismo, à prostituição infantil, ao desemprego, à falta de vagas nos hospitais, à falta de infraestrutura, à falta de planejamento habitacional, dentre tantas outras faltas...

Cresci às margens dessa “galeria” convivendo com esse esgoto a céu aberto que noite e dia corre rumo ao Rio Parnaíba desaguando neste seus dejetos hospitalares e materiais excrementícios sem o devido tratamento para situações como esta. Por lá passamos recentemente e vimos, eu e você, que a história ainda não mudou. Já se foram desde que a conheci, se não, quase meio século e nada fizeram pela saúde pública das comunidades que moram no seu entorno e, muito menos, pela saúde do nosso Velho Monge. Por quê? Será que as pessoas e o nosso rio não merecem! Será que foi falta de vontade política! Será que foi falta de sanidade! O que será que foi afinal?

E por falar nessa paisagem que faz parte da intimidade da minha vida e sobre a qual passava todos os dias... me veio a forte lembrança do tempo em que estudei no Grupo Escolar Odorico Castelo Branco. Um colégio público exemplar que tinha como base a disciplina conduzida por um memorável quadro de Professores, um Consultório Odontológico, uma infraestrutura excepcional e uma saudável merenda escolar. O que foi mesmo que aconteceu com o nosso “Odorico Castelo Branco” para estar nas condições física e estrutural nas quais se encontra hoje?"


Por: Airton Freitas Feitosa.

Formado em Engenharia Elétrica pela Universidade de Fortaleza e com Pós-Graduação na Fundação Getúlio Vargas e na Universidade do Estado da Bahia.



3 comentários:

Carivaldo disse...

Falou tudo, Airton. Sai Prefeito e entra prefeito e nada é feito nesse esgoto a céu aberto que é a galeria. Pior é que acaba com nosso rio parnaíba. Triste, mas isso não vai mudar, pelo que vejo. Acredito que não fazem nada, para ter o que prometer nas próximas eleições.

Airton Freitas disse...

Realmente, é triste a realidade desses patrimônios culturais que, em razão do tempo e do descaso, perecem e entristecem os sujeitos envolvidos em sua história. Mas como ter esperança que as coisas melhores não é causa de incidência de tributos, podemos sonhar com dias melhores pela frente.

Airton Freitas disse...

Realmente, é triste a realidade desses patrimônios culturais que, em razão do tempo e do descaso, perecem e entristecem os sujeitos envolvidos em sua história. Mas como ter esperança que as coisas melhores não é causa de incidência de tributos, podemos sonhar com dias melhores pela frente.