LOCALIZAÇÃO DE LEITORES


web site estatísticas

sexta-feira, 30 de agosto de 2013

GUERRA MÉDICA.



Foto da Internet do corredor polonês feito por médicos brasileiros na chegada dos colegas estrangeiros.



Adolpho Lutz, Carlos Chagas, César Lattes, Oswaldo Cruz, Euryclides Zerbini, Angelita Habr-Gama, Miguel Nicolelis.

Os nomes da medicina brasileira acima deixam qualquer um de nós orgulhoso do trabalho científico que nos legaram.

Adib Jatene, Ivo Pitanguy, Roberto Kalil Filho, David Uip, Dráuzio Varela.

Já os que acabei de citar são exemplos de médicos que se dedicam ao exercício da profissão com alto grau de excelência. Sabemos disso.

Em Floriano temos vários médicos que se dedicam ao exercício da profissão de forma inteligente, capaz, estruturada e, em certo grau, bem instrumentalizada. E eles são referência de excelentes profissionais tanto na capital quanto na nossa região.

O que vejo neles todos que me levam à admiração é o fato de que fazem aquilo que gostam de fazer. E não o fazem apenas pelo status e pela renda que obtêm, mas porque é algo que os tornam felizes pela autorrealização.

Sendo assim, praticam a medicina não pela metade, mas de corpo inteiro. Quem gosta do que faz se entrega completamente. Seja qual for a profissão.

A consequência desse ato é o reconhecimento e a valorização que obtêm da sociedade.

Quem não gosta do que faz não é reconhecido e nem muito menos valorizado. O faz apenas pelo status e pelo salário. Mas nunca estará numa lista como essa que citei acima. Que não é minha, mas elaborada por academias e pelos próprios pares.

Estou falando tudo isso em virtude da guerra que alguns médicos estão travando contra o projeto do governo federal de importar médicos para trabalhar estritamente nos locais onde esses médicos que estão reclamando não querem e não aceitam trabalhar. Seja qual for a justificativa.

Eles têm todo o direito de não querer ir trabalhar nesses lugares miseráveis sem estrutura e sem instrumentos. E também, a meu ver, não podem ser obrigados a ir. É uma questão de escolha.

Mas o que justifica a agressão moral contra os médicos estrangeiros que aceitaram o convite do governo brasileiro para trabalhar especificamente nesses locais?

Não há racionalidade no ato de agressão efetuado inclusive com a formação de um corredor polonês em Fortaleza com xingamentos e expressões racistas a colegas de profissão de outra nacionalidade.

As condições que muitos profissionais médicos exercem a medicina em instituições públicas são lamentáveis. O Brasil todo sabe disso e reclama por melhorias dessas condições e construção de novas unidades para que o atendimento tenha o mínimo de dignidade.

Médicos que trabalham nessas condições reclamam com muita frequência e firmeza da falta até dos instrumentos básicos.

Já os doentes carentes em sua situação de urgência ou emergência não têm paciência para avaliar as circunstâncias e põem a culpa nos médicos pela falta de atendimento nos moldes que deve ser.

Pronto, está aí a situação explosiva que faz desencadear os desentendimentos frequentes entre as partes nas instituições públicas.

As políticas públicas que venham elevar o nível de qualidade nos atendimentos nessas instituições estão sendo providenciadas, o governo federal já as anunciou. Aqui em Floriano será construído um novo hospital, por exemplo. Mas essas políticas demoram a ser implementadas.

As providências que devem ser tomadas para que as condições de trabalho e atendimento sejam melhoradas ainda devem demorar, já que o sucateamento da saúde pública, a meu ver, é uma realidade de décadas.

Não vou levar adiante os motivos ideológicos do desmonte das instituições, pois chegaríamos a uma conclusão que gera discordância, mas que é difícil de ser negada.

Na ausência de serviços públicos de qualidade abre-se um grande mercado para as instituições privadas. E se a saúde pública fosse gratuita e de alta qualidade para todos aniquilaria as pretensões de qualquer investimento privado.

Acredito que não seja apenas incompetência dos seguidos governos federais ao longo de décadas aliado ao desinteresse político pelas necessidades desse público desarticulado.

Dito isso tudo, resta perguntar: se alguns médicos não querem e não aceitam trabalhar nos locais miseráveis e com as condições citadas o que se deve fazer com os doentes pobres e necessitados de atendimento emergencial?

Há uma grande discussão sobre a importação de trabalhadores altamente qualificados para trabalharem no Brasil. Mas é certo que muitas empresas contratam especialistas para procurarem profissionais em vários países do mundo onde são reconhecidos na formação dos profissionais desejados.

Alguns estudiosos dizem que há uma demanda de cerca de 6 milhões de profissionais de outras nacionalidades. Mas essa informação é também objeto de discussão. Leia AQUI.

Engenheiros de várias especialidades, arquitetos, profissionais da área de TI e mais outros são aguardados por aqui. As empresas privadas reclamam da demora na liberação do visto de trabalho para esses profissionais.

Não se conhece nenhuma manifestação agressiva e preconceituosa contra esses outros profissionais quando chegam ao Brasil. Não se sabe de reclamações de conselhos profissionais contra esses trabalhadores.

A guerra travada por alguns médicos tem também caráter ideológico, pois se o governo resolvesse importar outros tipos de profissionais, como os citados acima, teríamos também corredores poloneses para a chegada deles?

Acredito que sim. Mas como os importadores dos trabalhadores qualificados citados acima são as empresas privadas, então esse tipo de protesto perde o sentido ideológico. Não se sustenta e não se efetiva.

Eu defendo os direitos de minha classe profissional. Eu luto pela melhoria das condições de trabalho. Mas sou contra aqueles que não realizam seu trabalho da forma como a sociedade necessita e espera.

Espírito de corpo só é aceitável quando a defesa tem à frente uma causa nobre.

Não defendo profissional sem compromisso com sua atividade profissional, sem respeito pelos outros. Não estou ao lado de quem não trabalha e mesmo assim quer receber salário igual a quem se entrega completamente à profissão.

Acredito que todos nós queremos que a saúde pública do Brasil tenha seus problemas solucionados para que as pessoas que dela necessitam possam ter dignidade no atendimento e na cura de suas urgências e emergências.

Mas quantos de nós estamos dispostos a abrir mão de certos privilégios e interesses para olhar para quem é o principal motivo dessa guerra toda, o atendimento aos pobres?

Certamente os médicos citados no começo do texto não cultivavam ou cultivam espírito de corpo em defesa de quem só pensa em status e salário. 



quarta-feira, 21 de agosto de 2013

PREFEITURA DE FLORIANO ANUNCIA NOVOS PROJETOS E INVESTIMENTOS PARA A CIDADE.



Prefeito Gilberto Junior e o Secretário de Transportes do estado, Avelino Neiva.



Professores do IFPI, Lázaro Carvalho e o Diretor Geral do IFPI Floriano Odimógenes Soares.


Secretário Municpal de Educação Nelson Junior.


Aldenio Nunes, responsável pelo entendimento do governo do estado e os empresários chineses para a instalação da montadora em Floriano, Gilberto Junior e Avelino Neiva.


Projeto gráfico do Porto Seco a ser construído em Floriano.


Representante e diretor da Terracal explicando o investimento de cerca de 1 bilhão e quinhentos milhões de reais na microrregião de Floriano. 


Secretário de Governo municipal, Cezar Pedrosa. 


No centro, camisa preta, Marcony Alisson, Superintendente da SUTRAN. 


Empresário Mário Martins e Didi Nunes, Secretário Municipal de Infraestrutura. 


Cinegrafista Valdemir Miranda e o jornalista Chagas Rabelo fizeram a cobertura do evento para a prefeitura. 


Prefeito Gilberto Junior e o deputado estadual Gustavo Neiva. 


É bom mostrar que os fatos no âmbito econômico amplo refletem uma conjuntura maior que o messianismo de um indivíduo medíocre e incompetente.

Esta minha proposição inicial é bastante significativa do que escreverei logo a seguir. Mas vamos primeiro aos fatos e depois ao messianismo de um indivíduo medíocre e incompetente.

Ontem à noite ocorreu um evento num dos principais hotéis da cidade Floriano para a apresentação de uma das maiores empresas de logística do Brasil, a Luft.

Para iniciar o evento de demonstração da infra e da estrutura da cidade para os empresários, o prefeito Gilberto Junior deu as boas vindas e disse que tudo o que já existe na cidade e o que está em vias de concretização coloca a nossa cidade como a melhor dentre as possibilidades que a empresa poderá consultar.

Foi feito um retrospecto de todos os investimentos previstos e que já iniciarão neste ano. O Porto Seco, um hospital com grau de atendimento de média e grande complexidade, os investimentos na área de petróleo e gás, a implantação na região da empresa Terracal, a ampliação do aeroporto, a construção de um novo anel viário, o projeto de inserção da cidade de Floriano no trajeto da Transnordestina e a instalação de uma monatadora de motocicletas da China.

Todos esses projetos direcionam o nosso olhar para um espectro amplo da economia onde se poder ver que o nosso país está remando contra a maré da crise mundial desde que ela teve seu último pico onde praticamente enterrou várias economias mundo afora.

O aspecto da economia nacional dando um norte de crescimento e investimento mostra por que o Piauí, e Floriano, estão sendo levados em consideração na perspectiva de expansão de grandes empresas.

Tudo isso só pode ocorrer, e mais precisamente aqui em Floriano, porque há um grupo muito forte e unido de políticos que está mudando radicalmente o modo como se percebe o funcionamento de uma cidade.

Aos poucos os cidadãos também estão percebendo isto, visto que uma pesquisa publicada semana passada mostra que a maioria dos florianenses se diz satisfeita com a administração do prefeito Gilberto Junior. O percentual de aprovação de sua administração está em torno de 62%.

Portanto, o que se vê acontecendo na cidade e muito ainda por acontecer não é resultado de ações de um único sujeito que teria o poder de um messias para resolver sozinho todos os problemas que a cidade possui e as respostas e soluções para as demandas sociais.

Ter uma visão redentora onde um otimismo ingênuo se sobrepõe aos fatos econômicos como resultado de um contexto real e mais amplo e baseado no messianismo de um sujeito só é pura enganação.

Um otimismo ingênuo reflete a incompreensão da realidade. Temos, no entanto, de sermos otimistas e percebermos em todos os grandes projetos que estão por acontecer em nossa cidade deverão ser concretizados atendendo aos cronogramas estabelecidos pelo governo e pelas empresas investidoras.

Mas é pura ingenuidade pensar que um único sujeito seria capaz de fazer tudo isso acontecer sozinho. Pois foi o que vimos em nossa cidade durante os últimos oito anos. Um ex-prefeito que se achava detentor de poderes quase divinos a propalar ações nunca realizadas em virtude única de sua mais inconteste incompetência.

Mas aí teve início a administração Gilberto Junior e o grupo político que o apoia e o ajuda concretamente a realizar as ações e projetos que a cidade tanto necessita e que vieram mostrar que os fatos econômicos derrubam as visões messiânicas de um incompetente destruidor de potencialidades. Pois a nossa cidade em suas mãos quase foi completamente destruída.

A razão econômica mostrando que é possível que a nossa cidade vá além daquilo que as mentes medíocres são capazes de projetar.

No evento protagonizado pela prefeitura de Floriano estiveram presentes autoridades do governo estadual, o prefeito, empresários, políticos e cidadãos representantes de instituições que dão sustentação ao crescimento da cidade.

O Secretário de Transportes do estado Avelino Neiva mostrou o andamento das obras e do interesse de uma empresa chinesa de construir uma montadora de motocicletas em Floriano.

O deputa estadual Gustavo Neiva destacou os projetos e as realizações já implantadas através de sua intervenção junto ao governador Wilson Martins a partir do diagnóstico e cobrança precisos do prefeito Gilberto Junior e sua equipe.

É desse modo que uma cidade pode crescer. Acreditando nos homens que estão envolvidos no compromisso de melhorar a qualidade de vida e a dignidade de nosso povo.

Acredito que nunca mais, a julgar pelo índices de aprovação do prefeito Gilberto Junior em seu primeiro semestre de administração  os florianenses embarcarão numa fantasia despudorada de mediocridade e incompetência.

Vamos rumo ao futuro e à dignidade. 



quinta-feira, 15 de agosto de 2013

ANIVERSÁRIO DO IFPI - FLORIANO, DOIS MÚSICOS CRIATIVOS E COMPETENTES.



Alfredo Torres ao violão e Vitor de Medeiros na flauta transversa. 


Professor Alfredo Torres.


Hoje (15.08.2013.) à tarde foi o dia de apresentação individual e depois em dupla dos dois professores de música do IFPI – Floriano, Alfredo Torres e Vitor de Medeiros.

Foi um show de habilidade técnica, vocação profissional e inspiração. Foi uma das apresentações que mais esperei para assistir.

Parabéns à dupla de competentes e criativos artistas.



ANIVERSÁRIO DO IFPI - FLORIANO, MAIS UMA ATRAÇÃO DE QUALIDADE.




Soraya Araújo, esposa do Odimógenes Soares (no centro), Diretor Geral do Campus Floriano e Charleno pires.


Mais uma noite de alegria e descontração durante as festividades do aniversário do IFPI – Floriano.

Nos horários dos intervalos ocorrem as apresentações pela manhã, tarde e noite. Sempre algo agradável e de bom gosto.

Ontem, 14.08.2013., à noite se apresentou no palco do pátio coberto o professor e Diretor Geral do Campus Angical, Charleno pires, e sua prodigiosa voz. Encantou a plateia de alunos, professores e funcionários. 

Foi um show.


RESULTADO DO EXAME CLASSIFICATÓRIO PARA PROFESSOR DE FILOSOFIA DO IFPI - FLORIANO.




Resultado do processo seletivo simplificado para professor de Filosofia do IFPI – Floriano. O aprovado trabalhará com turmas do ensino médio / integrado e curso superior.

Como as avaliações semestrais começarão na próxima semana e haverá um recesso, então o novo professor iniciará as suas atividades só a partir de meado de setembro.

Para maiores informações clique AQUI.

O campus Floriano do Instituto Federal do Piauí divulgou nessa quinta-feira o resultado final e a homologação do processo seletivo simplificado com vistas à contratação de professor substituto e/ou temporário das disciplinas de filosofia e matemática, referente ao edital nº 12/2013.




quarta-feira, 14 de agosto de 2013

ANIVERSÁRIO DO IFPI - FLORIANO, MOSTRANDO OS TALENTOS.



Alunos de Práticas de Instrumentos do IFPI – Floriano acompanhando o professor Alfredo Torres (de vermelho).


Alunos de Práticas de Instrumentos do IFPI – Floriano acompanhando o professor Vitor de Medeiros (último do lado direito da foto com um saxofone).


Ana Carolina, aluna do IFPI – Floriano, tocando clarinete. 


A Arte no ensino médio / integrado não tem como objetivo principal formar talentos artísticos, mas possibilitar uma formação artística que levem os alunos a se reconhecerem como capazes de agir em várias dimensões humanas.

Tendo feito isso, nada melhor que alguns alunos se conscientizem de que são bons instrumentistas também.  Mas a educação musical pode permitir-lhes ir além das determinações circunstanciais e se tornarem apreciadores de arte com qualidade. Pois isso nos torna seres humanos melhores do que somos. E quem não quer ser um ser melhor continuamente? 

Digo isso a partir de conversas sempre empolgantes que sempre tenho com o professor Vitor de Medeiros (esse carioca formado em música e já tendo atuado com vários músicos e bandas profissionais reconhecidos profissionalmente no Rio de Janeiro).



ANIVERSÁRIO DO IFPI - FLORIANO: MAIS EXPRESSÕES ARTÍSTICAS DE QUALIDADE.



Arianne Coutinho num show de interpretação e competência. 


(Da esquerda para a direita): No baixo (amarelo), Artur Fernandes. Logo atrás dele e com duas baquetas na mão, Aristócrates Coutinho. De óculos, o guitarrista Bráulio. Na frente Arianne Coutinho. Ao seu lado o tecladista Romário.


Ontem à noite, 13.08.2013., teve a continuação das atividades e eventos em comemoração do aniversário do IFPI – Floriano.

A grande atração foi a apresentação artística da aluna Arianne Coutinho acompanhada por uma banda composta de amigos e o irmão na bateria.

Foi uma das melhores apresentações artísticas. 




E NOS DIAS DOS PAIS... UMA HOMENAGEM AO MEU.



Airton Feitosa, vereadora Daguia e Juarez Feitosa.  


“Doutor”, Benedito, Zezinho e Valdo. 


Fernando e Soraya. 





terça-feira, 13 de agosto de 2013

COMEMORAÇÕES DO ANIVERSÁRIO DO IFPI - FLORIANO.



Apresentação da banda “Idiocracia”.





Banda “Idiocracia”: Patrynne, Jairo, Marcony e Igor.


Professoras Keyla Pimentel e Luciana Neiva.


Fãs do Herick Wallace "O MISTER IFPI".


Professores Marcus Vinícius, Vitor de Medeiros, André Castro e Bruno.


Aluna Dhara Rodrigues que dirigiu um curta metragem numa interpretação de “À beira mar”, de Stanislaw Ponte Preta, feita pelos alunos da turma 4311, Informática. 


Componentes da “Erivelton e Banda”, João Marcos, Lucas Siqueira, Jack, Óstenes e Erivelton.


Estão sendo realizadas, conforme calendário divulgado AQUI, as atividades e eventos em comemoração do aniversário do IFPI – Floriano.

Nesta terça-feira, 13.08.2013., à tarde, se apresentaram a banda de Rock “IDIOCRACIA”. É uma banda composta pelo professor Marcony Máximo e alunos do IFPI. Quando a banda subiu ao palco empolgou e levantou a plateia formada por alunos, professores e funcionários administrativos.

Logo após a “IDIOCRACIA” houve a dramatização, comanda pelas professoras Luciana Neiva e Keyla Pimentel, da obra “Memórias Póstumas de Bras Cuba”, de Machado de Assis, realizada pelos alunos da turma do segundo ano do curso de Meio Ambiente.

Em seguida apresentou-se “Erivelton e Banda”. Uma banda de Rock formada por estudantes de outras instituições e do IFPI, no caso, o Erivelton Sousa. No final da apresentação eles nos brindaram com o clássico “Paranoid” do Black Sabbath.

Foi bom demais. Alegria motivada por apresentações e eventos de qualidade artística e educacional.

Hoje à noite estão ocorrendo mais  eventos e amanhã tem mais.



quarta-feira, 7 de agosto de 2013

APESAR DO EX-PREFEITO, FLORIANO TEM UM DOS MELHORES ÍNDICES DO IDHM.




O IDHM é elaborado pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), que analisa mais de 180 indicadores socioeconômicos do Censo, produzido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O índice avalia longevidade, educação e renda, em uma escala que vai de 0 a 1.

Mais uma vez venho desmascarar os argumentos falsamente bem elaborados pelo ex-prefeito de Floriano, o pior que houve na história desta cidade, o mais incompetente que esta cidade já teve, que veio a público tirar uma casquinha dos últimos números divulgados sobre o IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano Municipal) sobre a nossa cidade.

Ele disse que as pesquisas que foram feitas para se chegar aos índices divulgados pelo PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) a partir dos dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) teria sido extensivamente sobre o período em que ele (des)governou a nossa cidade e, por isso, ele teria muitos méritos sobre a posição em que a cidade de Floriano ficou localizada.

Realmente a pesquisa contempla a primeira década dos anos 2000. E seu (des)governo infelizmente durou a eternidade dantesca de 2005 a 2012. Portanto a pesquisa contemplou seis anos de absurdos malfeitos e denúncias escabrosas feitas pela imprensa local e estadual e tendo sido apontado várias vezes pelos Ministérios Público Estadual e Federal de improbidade administrativa.

Inclusive na área de educação onde se desenrolam processos abertos pelo MPF sobre várias denúncias de malfeitos.

“O índice [IDHM] avalia longevidade, educação e renda, em uma escala que vai de 0 a 1.“ É aí onde aponto o falseamento bem elaborado do ex-prefeito. Não foi por causa de sua (infeliz) administração que a cidade obteve esses índices. Mas apesar dele.

Não é verdade, a meu ver, que por ele ter sido prefeito é que Floriano tenha atingido o índice de 0,700.

As políticas públicas postas em prática pelos governos de Lula e Dilma é que são os responsáveis pela elevação dos índices socioeconômicos e culturais do nosso país e, consequentemente, de nossa cidade.

Tanto é verdade que um dos indicadores de elevação do índice é a geração de emprego e renda. Nos últimos dez anos com as políticas do governo federal foram criados mais de 47 milhões de empregos com carteira assinada. Este fator tem um impacto muito grande na elevação dos índices socioeconômicos do povo brasileiro como um todo.

O que tenho a dizer é que apesar do ex-prefeito ter sido culpado pelos descalabros administrativos vividos pela população de Floriano nos anos em que ele quase destruiu por completo a nossa cidade é que as políticas públicas federais conseguiram ultrapassar todas as barreiras criadas por ele (o ex-prefeito).

A longevidade, a educação e a renda de um povo só melhoram quando esse povo tem um administrador competente, qualificado, bem-educado. Porque estes são qualificadores determinantes para que as políticas públicas cheguem aos índices esperados pela população.

No caso de Floriano, as políticas do governo federal, possuidor das qualidades acima citadas, chegaram aos índices divulgados apesar da nossa cidade ter sido (des)governada por um ex-prefeito tão incompetente.

Garanto que se durante o período em que ele quase destruiu Floriano fosse outro o prefeito, um prefeito com as qualificações citadas anteriormente, nossos índices teriam sido muito melhores.


Finaliza decretando que nossa cidade foi impedida pelo o ex-prefeito, através de sua inacreditável incompetência, de ter índices muito melhores do que teve. 



FALACIANDO COM O HOMER.




Vou dar aqui mais uma prova da existência real do personagem de desenho animado criado por Matt Groening e membro principal do seriado “Os Simpsons”, Homer Simpson.

A primeira de que eu já tinha ouvido falar era a forma como o William Bonner (Editor e Apresentador) se refere ao telespectador do Jornal Nacional (JN). Num encontro com professores da USP promovido pela Rede Globo com a finalidade apresentar as instalações da emissora e do JN.

No meio dos comentários de Bonner sobre os princípios que os levam a editar quais notícias devem ir ao ar no telejornal (e de que forma) e, assim, o típico telespectador do JN possa entender o que está sendo divulgado, ele teria dito: “Ele [quem assiste ao JN]  é preguiçoso, burro e passa o tempo no sofá, comendo rosquinhas e bebendo cerveja”.

O que Bonner teria dito seria algo assim: “Quem assiste ao JN é um sujeito incapaz de avaliar, analisar e questionar o que está sendo divulgado. Sendo assim o Homer não gosta de pensar e nem ter que se esforçar para entender algo. Por isso as notícias mais complexas não devem ser divulgadas, ou ao menos devem passar por um tratamento de ‘tradução’.”

Olhem a forma respeitosa como eles (do JN) tratam os telespectadores que dão a maior audiência à emissora, chamando-os de burros. E tem gente que estufa o peito e diz que aquilo que acabou de falar é verdade porque saiu no Jornal Nacional.

Leia notícias sobre o caso clicando AQUI, AQUI e AQUI.

A segunda forma de demonstração concreta da existência do Homer é a foto que tirei dessa garrafa de cerveja que bebi e gostei do sabor. É a cerveja preferida do Homer.


Então, se a cerveja do Homer existe, ele também existe. Esta conclusão deriva da primeira premissa (a do Bonner) e da segunda (a foto da cerveja).


19º ANIVERSÁRIO DO IFPI - FLORIANO.







O nosso IFPI – Floriano irá completar 19 anos de existência. São quase duas décadas de uma relação de ensino aprendizagem de alta qualidade onde aprender e ensinar (intelectual e tecnicamente) visa o homem e promove uma elevação cultural possibilitando os meios necessário para outro tipo de elevação, a econômica. Posto que esta é, enfim, uma das principais finalidades do ensino público, promover a justiça social. E este processo se realiza num ambiente democrático, sério, adequado, qualificado e especialmente preparado para este fim.

Desejo a todos que ajudam diariamente a edificar esta instituição (alunos, professores, servidores, e administradores) mais um feliz aniversário.